MAQUETE DO ESTALEIRO DO AÇU

MAQUETE DO ESTALEIRO DO AÇU
Foto Fernando

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Carla Machado liderança regional

 

Reunião na úlima sexta feita, dia 27/05, com mais de 1.000 participantes, mostra prestigio de Carla Machado e contou com a presença de Arnaldo Viana, Ilsan Viana, Deputado João Peixoto e o Deputado Roberto Henriques. Na pauta Carla mencionou que tudo feito até hoje no município é uma grande conquista do povo sanjoanense e que o município está ganhando e vai ganhar muito com os novos investimentos previsto. Arnaldo Viana disse que o mandato pertence ao partido e não ao vereador e que o PDT vai caminhar com Carla Machado em São João da Barra, já Ilsan mencionou que o ex-prefeito Alberto Dauaire Filho deixou o PDT de São João da Barra cheio de dividas, inclusive a cupula do PDT regional achou um absurdo o fato. Será que o ministro Carlos Lup (PDT) aprovaria suas contas também no partida?
O deputado João Peixoto reforçou seu compromisso com o povo sanjoanense e com Carla Machado, disse ainda que o povo tem que ficar unido contra os ataques de oportunistas da política gananciosa.
Os mais de 1.000 participantes aplaudiram de pé os discursos de Carla Machado, Neco e Alexandre Rosa, aclamando em alto e bom tom os seus nomes.

Prefeita de São João da Barra fala com exclusividade sobre determinação da Justiça que bloqueou seus bens e contas bancárias

“Em 2005 quando eu assumi a Prefeitura, estava instalado um caos na Saúde. Posto de Mato Escuro fechado, diversos lugares sem médico e eu, quando assumi, a receita própria, que é a fonte 00, que a gente pode pagar o funcionalismo, ela somente dava para pagar os vencimentos dos funcionários, quer dizer, os salários dos funcionários que já existiam. Inclusive, a época, Gugu era meu secretário de administração no período da transição e o Dr. Geraldo falava que tinha pena de mim, que eu dificilmente conseguiria manter os salários em dia, por falta desse recurso na fonte 00, já que royalties, pela lei, a gente é impossibilitado de pagar salários de funcionários, então o que eu fazia, quando ia pagar os vencimentos em dia, inclusive juntava os encargos sociais que não dava para eu pagar na ocasião, eu juntava, fazia o reconhecimento de dívida, parcelava e podia pagar isso através dos royalties que não há vedação na lei da parcela de royalties para eu estar utilizando para isso.
Eu não tinha como fazer concurso público na época, porque toda a contratação de pessoal, o efetivo, ele tem que ser pago com a fonte 00, a receita própria proveniente de transferência de recursos, de ISS, ITBI, do IPTU e as transferências estaduais e federais. A única alternativa que eu tinha para melhorar a saúde do município era fazer a parceria com o chamado terceiro setor que é Oscip, que existe uma legislação específica que autoriza. E assim foi feito a exemplo de outros municípios, Quissamã já existia desde a época do ex-prefeito Otávio, que antecede Armando, Brasil inteiro acontece isso, na Prefeitura aqui de Campos também acontece isso e porque tinha lei protegendo. À época era Pedro Otávio, o meu secretário, fez uma pesquisa dde uma Oscip que atuava aqui na região, inclusive num consórcio de saúde da região, inclusive no município de Quissamã, e chamou a Oscip para desenvolver um trabalho na parte de agentes comunitários, na parte de endemias, na parte da atenção básica, na urgência e emergência, afim de que a gente pudesse estar melhorando o serviço de saúde. Avançamos muito enquanto tínhamos essa parceria, inclusive, nós fizemos muito no passad, cirurgias de pequena e média complexidade dentro do município, colocamos especialistas, tinham 19 especialidades oferecidas na policlínica do município, começamos a melhorar a saúde no 5º Distrito, transformamos algumas unidades em unidades 24h, inclusive a unidade do Açu, começamos a ter a parte do resgate, inclusive fomos elogiados pelo Ministério Público Estadual, que São João da Barra era o único município da região que fazia o encaminhamento de pacientes já de forma estável para ser internado num pólo referência que é em Campos (Hospital Ferreira Machado ou Hospital Geral de Guarus). Campos, por exemplo, ele não faz favor pra gente por estar recebendo pacientes daqui, ele nem pode se negar, por ele ser pólo da região, e recebe recursos do SUS para isso.
Mas voltando a questão da Oscip, dada algumas denúncias que foram feitas, de toda ordem, nós tivemos o questionamento NÃO de se fazer o serviço, de prestar o serviço a contento, mas sim pela forma como foi feita, sem a licitação e burlando o concurso público, o que me deixa feliz, o que mostra aí a nossa honestidade frente a administração pública. Apesar de termos hoje esse encaminhamento do Ministério Público para bloqueio das minhas contas bancárias, dos meus bens, eu fico triste mas não fico arrependida, porque em virtude desta parceria, nós pudemos salvar diversas vidas, centenas de vidas aqui no município e melhorar a qualidade de Saúde.
Quando foi feito a contratação dessa Oscip, eu peguei através da Procuradoria o parecer do TCE, porque existe o parecer do TCE já dado a Quissamã, foi também dado parecer da Procuradoria do trabalho, nós não fizemos de forma aleatória, fizemos uma pesquisa de mercado pra poder ver a questão da economicidade e foi contratado o Inbesps (Instituto do Bem Estar Social e Promoção à Saúde) para poder desenvolver esse serviço aqui. No decorrer disso, devido a tantas e tantas denúncias, foi averiguado e o que, volto a repetir, o que é questionado não é a honestidade na aplicação e sim a forma de se burlar o concurso público. Então, esse processo vem tramitando há tempo, nós tivemos em uma determinada ocasião a determinação judicial para nós suspendermos essa parceria com o Inbesps, o que fizemos, ficamos trinta dias sem o Inbesps, sem essa parceria com o Ibesps, foi um caos, que não se tinha médico, na época era a Drª. Lúcia a secretária, ela é ginecologista e obstetra, que muitas vezes tinha que sair e atender ela mesmo por falta de médico.
Conseguimos na Justiça a possibilidade de manter essa parceria por mais 6 meses até que fizessemos o concurso público. E assim foi feito. Nós com o passar do tempo, nós trabalhamos e aumentamos a nossa receita própria, afim de que possibilitasse o concurso na área de saúde, que nós fizemos, e estamos até hoje chamando pessoas desse concurso que finda o prazo agora no mês de junho, são de 2 anos, onde contratamos centenas de pessoas para trabalhar na área de saúde, garantindo no final do mês o seu salário da fonte 00, que é a receita própria, como também, devido ao aumento da nossa receita, foi oportunizado e nós fizemos agora o concurso na área da Educação e que estamos fazendo também a convocação das pessoas aqui.
O que tenho a falar é que foi por uma causa justa, uma causa importante que é a questão da Saúde do município que nós fizemos essa parceria, tivemos melhorias, na época a Drª Lúcia falava sempre que éramos felizes e não sabia, é diferente hoje do profissional concursado, que falta e é protegido pela CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), a gente não pode escolher e sim aquele que fez o concurso e passou através de nota, e dessa forma não temos como dar o que a população realmente precisa, e a gente tinha esse facilitador anteriormente com o contrato do Inbesps. Então, eu tenho certeza que por ocasião do julgamento do mérito dessa questão pelo Juiz, haverá o desbloqueio dos meus bens, até porque, não houve malversação (Desvio de fundos no exercício de um cargo), com certeza a causa é nobre e já acontece em tantos e tantos municípios, foi a maneira única que tive de proporcionar à população uma saúde de melhor qualidade”, disse a Prefeita Carla Machado.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Prefeitura de São João da Barra Inaugura estrada em Degredo

A Prefeitura de São João da Barra inaugura neste domingo, dia 29 de maio, a partir das 11 horas, a obra de pavimentação asfáltica da estrada SB-02, que liga o centro da cidade à localidade de Degredo, no quarto distrito. Com oito quilômetros de extensão e sete metros de largura, a via foi construída dentro das especificações técnicas do Departamento de Estradas de Rodagem do Rio de Janeiro.
            A obra foi realizada pela União Norte Fluminense Engenharia e Comércio Ltda. e ficou orçada em R$ 3.285281,36. Com a conclusão, a estrada passa a ser a ser uma importante alternativa de trânsito para os motoristas que fazem a rota Campos e vice-versa. O subsecretário de Obras, Seitiro Henrique Komatsu Damas, ressalta que foi incluído também no projeto obras de drenagem em cinco pontos de travessia de águas pluviais.
            — O projeto foi todo desenvolvido dentro dos padrões e normas técnicas exigidas, inclusive as que dizem respeito ao ambiente. Em nenhum ponto a SB-02 vai interromper a passagem de águas pluviais, uma vez que foram feitas obras de drenagem em cinco pontos de travessia para essas águas. A Prefeitura licitou a obra em 2010 e a firma União Norte Fluminense ganhou a concorrência pública para executá-la — explicou Seitiro, destacando que, atendendo solicitação da Prefeita Carla Machado, a Cedae em parceria com a Prefeitura realizou a extensão da rede de água potável para os moradores do Bairro Nossa Senhora da Conceição na fase inicial da obra.
            Além de desafogar o trânsito na Br 356, no trecho entre a localidade de Degredo ao Centro de São João da Barra, a obra tem a finalidade de melhorar a qualidade de vida das pessoas que residem próximo à estrada e que não conviverão mais com a poeira na época da seca e lama na época da chuva.

Fernando Leite em defesa de SJB

 

AOS NAVEGANTES
Tenho raros contatos com a prefeita Carla Machado, de São João da Barra. Quando a encontro é, eventualmente, em cerimônias públicas. Não tenho relações institucionais e de nenhuma outra ordem com seu governo, muito menos patrocínios ou coisas do gênero.
Digo isso, para me antecipar a prováveis críticas dos adversários de sempre, que podem querer associar o texto a seguir com interesses subalternos.
Também não escondo que, nessa polêmica entre ela e o deputado federal, Garotinho, nem pestanejo: estou do lado da prefeita por reflexão e opção pessoais.
A prefeita de São João da Barra, Carla Machado é uma mulher admirável. Não vou cair na vala comum de compará-la à poeta Narcisa Amália, outra vanguardista sanjoanense que viveu no século XIX. Cada uma no seu tempo, com suas virtudes e defeitos.
Narcisa e sua poesia intimista são uma unanimidade, Carla, não. Há contra a prefeita a necessária oposição. Há contra ela o nariz torcido dos intelectuais, aqueles que nunca fazem nada porque morrem de medo de errar e adoram apontar os defeitos de quem faz. São os que atravessam a vida deitados na sua irretocável inutilidade.
Carla foi vereadora em uma época em que vitórias eleitorais de mulheres, não só no Brasil, mas, sobretudo, num pequeno município costeiro do interior do Estado, eram incomuns. Revelavam-se feitos extraordinários que contrariavam a lógica machista e conservadora da época. Pois além de vereadora, foi presidente da Câmara e liderou seus pares com firmeza e equilíbrio. Uma mulher interiorana chefe de um Poder.
Para tanto não contava com tradicionais padrinhos políticos, patrocínios de bancos oficiais e nem programas de Rádio. Contava tão somente com sua teimosa obstinação em ganhar e com a sola de seus chinelos.
No entanto, desafio ainda muito maior estava por vir. Nas eleições de 2004, longe do Poder, isolada politicamente, ousou disputar a sucessão municipal contra duas máquinas que se juntaram: uma administrativa e outra financeira. O empresário Ary Pessanha, um dos mais bem sucedidos da região, foi o candidato oficial do prefeito de então, Betinho Dauaire, adversário de Carla. Parecia um jogo vencido antes de ser jogado.
Os analistas políticos consideravam as eleições, em São João da Barra, resolvidas. Alguns de seus apoiadores o faziam por desencargo de consciência e comentavam entre si que era uma luta perdida. O resultado era absolutamente previsível. Ganharia o óbvio, o lógico, mas a população transgrediu as convenções e decidiu contar a história ao seu jeito. Deu Carla.
Agora por motivos inconfessáveis o deputado Garotinho virou suas armas de guerra contra a Prefeita, quer porque quer se imiscuir na política de São João da Barra e apontar o seu ungido. Se lá, um vereador decide apoiar a prefeita é o fim dos tempos, se o mesmo acontece aqui, á menos de 40 quilômetros de distância, é uma efeméride. Vereador adesista lá é vilão, aqui é virtuoso.
O que está por trás desta guerra surda contra a prefeita? Até as pedras velhas do cais sabem. São João da Barra não é mais aquela bucólica cidade, no delta do Paraíba, de casario marcadamente influenciado pela colonização portuguesa, quase uma vila ainda quando o século XX já se despedia. Hoje a cidade é a sede do maior Porto das Américas, de orçamento privilegiado. Para os profissionais da Política isso é o que interessa, o resto é pano de fundo.
É hora do povo sanjoanense assumir de novo o centro da cena política e resolver por sua conta o seu destino. Como fez em outras ocasiões. Como fez em 2004 soberanamente.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Diretor da Ultra é esculachado no ar

 

A rádio Ultra FM está entrando por um caminho de total decadência e descrédito com a população sanjoanense. Será que o senador Magno Malta tá sabendo disso? O diretor Walmir Medici ficou numa situação meio azeda lá no Espírito Santo (via skype). Uma ouvite (Lúcia Lopes, de Atafona) esculachou a rádio no ar. Ouça o áudio [aqui].
font; BRUNO COSTA

Betinho vai perder de novo

 

O candidato de Garotinho em São João da Barra, seu eterno desafeto, Alberto Dauaire Filho, vai sentir novamente o gosto da derrota. Primeiro porque não tem grupo político, depois porque não teve sequer a coragem de vir morar em São João da Barra. Prefere a mansão no Bougainville, em Campos. Ou sua casa em Niterói. Além disso, tem um filho com sotaque totalmente carioca. O povo quer identidade. Como disse meu amigo Guto Gomes, sabem onde é o Riacho dos Macacos? Eu acrescento: conhece a lenda da Moça Bonita? Já bateu uma peladinha na beira do porto? Já pescou piabinha no Cais do Alecrim? Comeu jamelão na Prainha de Ramos? Aliás, foi Alberto Dauaire Filho que autorizou o corte daquele antigo pé de jamelão para fazer uma fogueira de festa junina!

Sorteio definiu ordem de beneficiários em Microbacias de São João da Barra

Agricultores da Microbacia de Campo de Areia, localizada no quinto distrito de São João da Barra e que reúne as comunidades de Campo de Areia, Cazumbá, Concha e Sabonete, participaram, na noite da última terça-feira, de um sorteio para a definição da ordem dos beneficiários com subprojetos voltados à proteção ambiental aliada ao aumento da renda familiar. Na véspera, processo semelhante aconteceu na Microbacia de Brejo do Ingá, também no quinto distrito e que abrange Barra do Jacaré, Enjeitado, Palacete e Pipeiras.
As duas Microbacias reúnem 47 famílias e cada uma delas receberá incentivo no valor de até R$ 7 mil a serem investidos em subprojetos como pastoreio rotacionado, kit galinha, adubação orgânica, cana forrageira, entre outros. Os trabalhos encontram-se na fase de elaboração do Planejamento Individual de Desenvolvimento (PID), que consiste, após a realização dos sorteios, em visitas de técnicos às propriedades rurais para que possam ser elaborados os subprojetos. Essa etapa deve girar em torno de, no máximo, seis meses.
O Projeto de Microbacias Hidrográficas é uma iniciativa do Programa Rio Rural e tem a prefeitura de São João da Barra, por meio da Secretaria de Agricultura, como executora municipal juntamente com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-Rio). No município o projeto é desenvolvido desde 2008, quando teve início o processo de consolidação das Microbacias de Rio Doce e Canal de Degredo. Atualmente 32 beneficiários estão inseridos nessas duas unidades, com verba já liberada no valor de R$ 132 mil.
Durante o sorteio da ordem dos beneficiários de Campo de Areia, realizado na sede da subprefeitura de Sabonete, o técnico executor daquela Microbacia e extensionista da Emater em São João da Barra, Éderson Costa, fez um resumo do processo de implantação, iniciado em setembro de 2010 com apresentação do projeto à comunidade e a formação do Comitê Gestor da Microbacia (Cogem), composto por membros da comunidade. Os passos seguintes foram a realização de um censo para que fosse conhecida a realidade da região e o Diagnóstico Rural Participativo (RDP) apontando os principais problemas enfrentados pelos produtores e que deu origem ao Planejamento Executivo da Microbacia.
Presente na realização do sorteio, secretário de Agricultura de São João da Barra, Osvaldo Barreto, destacou a importância do convênio que vem sendo firmado entre a prefeitura e a Emater e reafirmou a disposição da atual administração em investir no homem do campo. “Convênios importantes vêm sendo firmados e estão contribuindo para alavancar o setor agrícola em nosso município. Estamos sempre focados em defender os interesses do homem do campo e hoje estou feliz em ver que iniciativas importantes estão mudando a realidade deste setor tão importante para a economia de São João da Barra”.
A oportunidade de desenvolver um projeto que possa aumentar a renda familiar, exigindo como contrapartida a mão-de-obra direcionada à proteção do meio ambiente deixa animado o produtor Juarez Ribeiro Manhães, de 36 anos. Morador da localidade de Concha, ele foi sorteado entre os 10 primeiros a serem beneficiados na Microbacia de Campo de Areia. “Vivo da produção rural e acho muito interessante essa experiência, que vem se mostrando bem sucedida em nosso município”, destacou o agricultor.

7ª Semana do Meio Ambiente tem início no dia 30 de maio em São João da Barra

No dia 5 de junho é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente e o município de São João da Barra preparou diversas atividades para celebrar a data. Palestras, distribuição de mudas frutíferas e não frutíferas, coleta seletiva e exposição de imagens ambientais são algumas das atividades que vão acontecer entre os dias 30/05 e 03/06 e que englobam a programação da 7ª Semana do Meio Ambiente.
Idealizada pelas secretarias de Educação e Cultura e de Meio Ambiente e Serviços Públicos, a Semana tem como finalidade reunir as diversas ações desenvolvidas pelas duas secretarias e pelo Espaço da Ciência Maria de Lourdes Coelho da Anunciação, Projeto Pólen e pelo Projeto Artesanato é Nossa Cultura.
Na segunda-feira, dia 30, haverá distribuição de mudas frutíferas no calçadão Dirceu G. Raposo, a partir das 11h:30. Na parte da tarde, a E. M. Evanir José Gaia, de Grussaí, receberá o projeto Coleta Seletiva, que acontece na escola também na terça, dia 31. A partir das 9h, de quarta-feira (01), na E.M Luís Délio Mendonça, da comunidade de Campo de Areia, vai ter apresentação de filmes ambientais e distribuição de mudas. A programação no dia primeiro prossegue às 14h, com o Seminário sobre Atitudes Sustentáveis, no Espaço da Ciência Maria de Lourdes Coelho da Anunciação, em Atafona.
Quinta-feira, dia 02, o Cine Ambiental vai ser apresentado na E. M. Amaro de Souza Paes, em Grussaí, às 9h, seguido de distribuição de mudas. A tarde, no Espaço da Ciência, vai ter apresentação do Projeto Coleta Seletiva, lançamento do projeto Atitudes Sustentáveis e palestra sobre o Geoparque. Sexta, dia 03, o projeto Coleta Seletiva vai acontecer na E. M. Profª Dionélia G. Santos, em Atafona, nos turnos da manhã e da tarde. Haverá, também, distribuição de mudas frutíferas no calçadão Dirceu G. Raposo, na sede, e na Praça de Barcelos, ambas às 9h. Vale destacar que durante toda a semana o projeto “Essa imagem é show” vai acontecer no setor de tributos do município, das 9h às 16h.
Sima  -  A III Sima (Semana Integrada de Meio Ambiente) é realizada pelos pólos de Educação Ambiental de São João da Barra, Campos e São Francisco do Itabapoana, integrantes do Projeto Pólen, e envolve profissionais da área de educação e de meio ambiente interessados em questões socioambientais.
Em São João da Barra, a programação começa no dia 30, no Espaço da Ciência Maria de Lourdes Coelho da Anunciação, às 14h, com uma palestra com o tema “Educação Ambiental para Gestão Pública”. Na terça, dia 31, haverá apresentação da cartilha e vídeo “Nosso Manguezal”, gerado no I Sima. A apresentação vai ser realizada no auditório da PMSJB a partir das 8h, ministrada por Arleide Maria Ferreira, gestora do Pólo de Educação do município. Às 9:30 o público vai partir para uma atividade de campo no manguezal do Pontal de Atafona, mediada por Ricardo Terra (do IFF) e Luiz Henrique Araújo (técnico ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Públicos de SJB). Na parte da tarde, no Espaço da Ciência, Zé Maria Miro (IFF) vai ministrar uma oficina sobre o uso da cartilha “Nosso Manguezal”.
No dia 01, quarta-feira, acontece um seminário dos Projetos Ambientais no Âmbito da Gestão Municipal e na sexta, dia 03, o analista ambiental aposentado do IBAMA vai encontrar com a comunidade pesqueira de Atafona, às14h, no Auditório Municipal.

terça-feira, 24 de maio de 2011

“Se tem certeza que pratiquei irregularidades, encaminhem ao MP, é o que quero”, diz Carla Machado


“Estou triste com essa situação vexatória que São João da Barra está passando. A gente vê aí a falta de respeito da mesa diretora da Câmara com o Alexandre, que é vice-presidente, e também para com os demais companheiros. Eu gostaria de estar falando sobre os balancetes, contribuir com a informação sobre os balancetes.
Na Câmara existem quatro vereadores, o atual presidente Gerson, Vereador Kaká, Vereador Camarão e Vereador Franquis, que querrem transformar a Câmara municipal num palanque eleitoral antecipado. Parece que querem transformar numa briga diária, para ocupar a mídia. Estamos há 6 anos e meio, vendo na cidade vizinha Prefeito sendo cassado, Prefeita sendo afastada de cargo e ouço há 6 anos e meio que vou ser cassada, mas nunca fui. Tive todas as minhas contas aprovada pelo Tribunal de Contas, diferentemente de um ex-prefeito aí. Mas não estou aqui para falar de ex, falar de passado, estou aqui pra falar do hoje.
Hoje, o Vereador Alexandre retornou e está junto com a gente para fazer tudo que São João da Barra merece, não satisfeito com isso, esses 4 vereadores tentam a todo momento atrasar os trabalhos do Executivo. O Presidente (do Legislativo) Gersinho está cometendo crime de Prevaricação* (leia significado no fim da matéria). Eu não vi em regimento interno, lei orgânica, em lugar nenhum, que com quatro vereadores poderia ser votado matéria, eles são minoria.
Agora eles estão inventando motivos para não votar a suplementação. Não estou pedindo mais R$ 51 milhões, estou pedindo R$ 51 milhões de remanejamento dentro do orçamento total do ano. Estou pedindo isso por causa da retaliação que foi feita pelos Vereadores naquele episódio do verão. Não estou pedindo a mais, estou pedindo dentro do orçamento total o remanejamento para seus lugares reais.
Nós estamos com pedido de urgência na área de saúde, que eles alegam ter votado ontem, mas está nula perante a lei, como também o pedido de recurso para dotação para estarmos efetuando o pagamento, o aumento dos servidores, mas precisamos também que seja votada a suplementação de R$ 51 milhões para que haja o remanejamento e assim o pagamento do reajuste de 7% dos servidores.
Gostaria de dizer que tudo isso que tem acontecido tem um único objetivo, que é me desestabilizar. O tempo que perco com isso tudo que está acontecendo, eu poderia estar fazendo obras, entre outros investimentos necessários para a população, porque temos dinheiro em caixa. É uma matéria difícil, a matéria de orçamento, mas para as pessoas entenderem, eu tenho dinheiro, milhões em conta, mas eles não põe em pauta e não posso investirm não posso gastar.
Não adianta alguns vereadores dizerem que os vereadores de situação estão impedindo isso ou aquilo, porque eles sabem que uma matéria colocada em votação para quatro vereadores não pode acontecer, porque é minoria na Câmara, é contra lei.
Eu sou do tipo de Pessoa que mentira tem perna curta, eles estão enganando a população e vão sentir isso nas urnas no ano que vem.
Se eles já tem certeza que eu pratiquei irregularidades, encaminhem ao Ministério Público, é o que eu quero. Preciso estar conversando com meus amigos, eu gostaria que fizessem todos os levantamentos porque farei, na semana que vem, uma audiência pública para estar explicando tudo o que está acontecendo.
Eles querem me desmoralizar, querem me tombar, tombar a Prefeita do município, mas eles esquecem que fui eleita pelo povo, por um banho de votos, e quero retribuir com meu trabalho e realizações para o povo de São João da Barra”, disse a Prefeita do Município de São João da Barra, Carla Machado (PMDB).
________________________________________________
*Prevaricação é um crime funcional, ou seja, praticado por funcionário público contra a Administração Pública. A prevaricação consiste em retardar ou deixar de praticar devidamente ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal

fonte: portal ozk

PRESIDENTE DA CÂMARA DE SJB CONTINUA DESCUMPRINDO LEI

A Lei Orgânica Municipal é clara ao dizer que “o Prefeito poderá solicitar urgência para apreciação de Projetos de sua iniciativa, considerados relevantes, os quais deverão ser apreciados no prazo de 30 (trinta) dias”. No parágrafo 1º, está estabelecido: “decorrido, sem deliberação, o prazo fixado no caput deste Artigo, o Projeto será obrigatoriamente incluído na Ordem do Dia, para que se ultime sua votação, sobrestando-se a deliberação sobre qualquer outra matéria, exceto medida provisória, veto e leis orçamentárias”.

Mais uma vez o vereador Gerson Crispim, presidente da Câmara Municipal de São João da Barra, descumpriu a lei ao não colocar a mensagem que solicita suplementação orçamentária no valor de R$ 51 milhões, enviada desde o dia 31 de março pelo Executivo ao Legislativo, portanto, há 53 dias, para votação na Casa de Leis. Assim, o legislativo continua com a pauta trancada. A desculpa dos vereadores de oposição são os balancetes da prefeitura, mas os mesmos já foram disponibilizados para o legislativo e, inclusive, publicados em Diário Oficial para toda a população ter acesso.

Outro ato conduzido hoje de forma errônea pelo presidente do Legislativo é quando, através de requerimento, visa “destrancar” a pauta, o que não está correto, pois estaria se alterando a Lei Orgânica do Município por requerimento e tal ato não pode ser concretizado por esta via. A situação se complica ainda mais para o presidente Gerson Crispim quando ele põe em votação este requerimento e não dá tempo hábil para o vereador Alexandre Rosa se levantar totalmente e votar contra. “Quem estava na sessão e viu pela internet pode comprovar que eu estava me levantando. Além disso, o regimento mostra que tenho tempo para me levantar. Assim eu o fiz. Isso não pode ser feito desta maneira com o único intuito de impor opiniões à força. Já está beirando ao ridículo. Caso a ata desta reunião venha mostrando que votei a favor do “destrancamento”, irei reprová-la imediatamente, porque esta não é a verdade”, afirma Alexandre Rosa, que juntos aos vereadores Aluizio Siqueira, Amaro Élio e Jonas de Oliveira deixaram o plenário por se negaram a compactuar com a decisão do presidente, provendo mais uma vez a ilegalidade.

O vereador Jonas de Oliveira foi enfático em suas palavras. “É preciso sincronia e transparência. O meu requerimento não entrou na ordem do dia, por quê? Não adianta jogar pra plateia e é isso que vocês estão fazendo”, esclarece. O edil se refere a duas leis que aguardam a votação da suplementação para entrarem em pauta: os novos concursados da rede municipal de Saúde e o aumento salarial de 7% enviado pelo executivo.

“Acabei de conversar com algumas pessoas que passaram no concurso e aguardam ansiosamente pelas vagas. Disse que não adianta ser colocado em votação porque está ilegal. Aí, lá na frente eles sairão prejudicados. Serão vagas mal aprovadas. O que os vereadores de oposição querem é fazer algo ilegal e depois tentar dizer que foi a prefeita que não quis aprovar. Realmente ela tem responsabilidade e também não condescende com ilicitude”, ressalta o vereador Aluizio Siqueira.

Alexandre Rosa frisa, ainda, que não está ali para compactuar com a ilegalidade. “Coloco meu jurídico à disposição destes futuros concursados para esclarecer sobre a verdade dos fatos. Não podemos passar por cima da Lei Orgânica como está fazendo a atual presidência desta Casa. Vocês querem tirar das costas de vocês e jogar nas nossas o projeto de aumento de salário e dos agentes de saúde. São João da Barra tá cansada de ouvir que dentro dos R$ 51 milhões tem um mensalão para Alexandre. Quem me conhece sabe bem que não tem nada disso”, desabafa.

Os cinco vereadores são unânimes em reclamar da forma autoritária como o presidente Gérson Crispim tem comandado os trabalhos no plenário, cassando a palavra dos vereadores da situação e cerceando o direito às intervenções dos mesmos. O vereador Jonas de Oliveira, líder do PMDB, lamenta: “infelizmente o presidente não tem sido imparcial”.

Outro fato inusitado da sessão foi o nervosismo do vereador Kaká. “Sei que vai levar um esporro da prefeita quando sair daqui”, direcionando a fala para o vereador Alexandre em tom agressivo e alto. E se não bastasse, os quatro vereadores continuaram a sessão e aprovaram o projeto de lei nº 004/11 do Poder Executivo, que dispõe sobre a abertura de mais vagas na área de Saúde – referentes ao concurso público realizado em 2009.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOÃOA DA BARRA AFIRMA: " NÃO IMPORTA O QUE ETÁ NA LEI ORGÂNICA, O PLENÁRIO É SOBERANO"

Seria cômico se não fosse trágico. Veja o nível dos vereadores da Sucupírica Câmara Municipal de São João da Barra. A pauta da Câmara está trancada por determinação contida no parágrafo´1º do Art. 38 da Lei Orgânica do do Município, segundo a qual:

Artº 38 - O Prefeito Municipal poderá solicitar urgência para apreciação de projetos de sua iniciativa, considerados relevantes, os quais deverão ser apreciados no prazo de 30 ( trinta ) dias.

§ 1º - Decorrido, sem deliberação, o prazo fixado no caput deste Artigo, o Projeto será obrigatoriamente incluído na Ordem do Dia, para que se ultime sua votação, sobrestando-se a deliberação sobre qualquer outra matéria, exceto medida provisória, veto e leis orçamentárias.

Após questionamento formulado pelos Vereadores da situação, o Presidente afirmou que poderia votar requerimento em sentido contrário ao previsto na Lei Orgânica do Municiío, pois, parmem: O PLENÁRIO É SOBERANO.

Ou seja, não importa o que está previsto no Regimemnto Interno, Lei Orgânica, ou na Constituição Federal, pois O PLENÁRIO É SOBERANO para afrontá-las.

Não acredito que tal orientação tenha sido submetida ao setor Jurídico da Câmara, pois conheço bem pelo menos um de seus membros e duvido que tenha compactuado com este absurdo.

E mais.

Após terem se ausentado do plenário cinco dos nove Vereadores, o Presidente submeteu um projeto de Lei a votação, mesmo sem a maioria absoluta, o que é vedado pela Lei Orgânica.

fonte:http://maxsuelmonteiro.blogspot.com/2011/05/presidente-da-camara-municipal-de-sao.html

São João da Barra comemora Dia da Melhor Idade

No dia 25 de maio, o município de São João da Barra comemora o Dia da Melhor Idade. Para homenagear os idosos, a Secretaria Municipal de Saúde e o Grupo da Terceira Idade prepararam uma programação totalmente voltada para a saúde.
            As ações vão acontecer das 8h às 12h na sede do Clube da Terceira Idade Maria Júlia de Aquino. A parceira montada com o Programa de Saúde Bucal e de Educação em Saúde viabilizou a apresentação de vídeos e palestras, atividades físicas voltadas para os idosos, aferição de pressão arterial e glicemia, levantamento das necessidades de próteses dentárias e distribuição de kits de higiene bucal.
            Vale destacar que neste dia também vai acontecer vacinação contra gripe comum e contra o H1N1 (influenza A), atendendo aos que não conseguiram se vacinar na Campanha Nacional de vacinação contra Gripe, encerrada no dia 20 deste mês.

sábado, 21 de maio de 2011

Prefeitura de São João da Barra reajusta em 7% salário dos servidores públicos municipais

A Prefeitura Municipal de São João da Barra encaminhou para a Câmara projeto de lei solicitando autorização para reajustar os salários dos Servidores Públicos Municipais em 7%.

Esse reajuste ficou superior ao de Campos dos Goytacazes (6,51%), Macaé (6,51%), Quissamã (6,36%), entre outros como Carapebus, São Francisco de Itabapoana e São Fidélis.

Jô Soares entrevista Eike Batista 20/05/2011 (Parte 1 de 2)

Prefeitura de São João da Barra e Faetec fecham parceria para expandir qualificação

Um enorme passo foi dado nesta sexta-feira (20) para aproximar os cursos profissionalizantes das diversas comunidades de São João da Barra. Durante um almoço com a prefeita Carla Machado e reunião na secretaria de Educação do município, ficou definido que será celebrada uma parceria entre a prefeitura e a Faetec para implantar cursos de Línguas e Informática em oito escolas municipais. O convênio será assinado entre as partes na segunda quinzena de junho com previsão de início das aulas para julho deste ano, após abertura de inscrições.

A reunião contou com a presença do secretário municipal de Educação, Antônio Neves, a diretora da Faetec de São João da Barra, Sila Miranda, o coordenador do Polo Avançado da Faetec em Campos, Etevaldo Pessanha, a vice-presidente Educacional, Maria Cristina Lacerda, a diretora de Desenvolvimento Educacional, Leila Gelelete, e a diretora de Formação Inicial, Ângela Maria Almeida, que fecharam a agenda visitando as obras do Porto do Açu.

Para Antônio Neves, o governo municipal está pensando no futuro, mas com ações no presente. “É mais um direcionamento que damos para qualificar a mão de obra local. As grandes empresas estão chegando. É um processo irreversível e se faz necessária a inclusão dos atores locais neste contexto, formatando um processo de desenvolvimento com inclusão social”, frisa.

A Faetec atende São João da Barra desde 2004 e já formou aproximadamente quatro mil alunos nas áreas de Línguas, Português Instrumental, Informática e Hotelaria. A ampliação e expansão da instituição é um desdobramento da recente reunião entre a prefeita Carla Machado, o governador Sérgio Cabral e o secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso, que visa descentralizar a instituição através de polos para atender a todas as comunidades sanjoanenses. Outro incremento desta reunião no Rio foi a construção no município de um Centro Vocacional Tecnológico (CVT). Semana que vem um técnico da Faetec estará vistoriando o terreno comprado pela prefeitura para sediar as instalações, com localização em Cajueiro, quarto distrito de São João da Barra.

“Queremos, além de ampliar, expandir os cursos de qualificação pelas comunidades. Quanto mais perto o acesso, mais os jovens, adultos e idosos vislumbrarão uma oportunidade ímpar de se especializar em busca de oportunidades com a chegada de grandes empreendimentos. O CVT aportará cursos de grande porte, como de construção naval, por exemplo”, analisa a prefeita.

Segundo Sila Miranda, os núcleos serão na sede, Açu, Atafona, Grussaí, Cajueiro, Pipeiras, Cazumbá e Barcelos. “Com certeza a procura será bem grande já que a instituição tem um know how e credibilidade no mercado de trabalho para formar cidadãos aptos a desenvolverem suas tarefas”, ressalta.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

VEREADOR DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA, FRANQUIS ARÊAS DE FREITAS RESPONDE AÇÃO PENAL POR CRIME AMBIENTAL.

Os vereadores Franquis Areas, Camarão e Kaká respondem processo criminal nº0000957-51.2011.8.19.0053 (1ª Vara de SJB), com Prioridade – Pessoa Idosa – Lei nº 10.741/03, por “Violação de domicílio (Art. 150 – CP); Exercício Arbitrário Ou Abuso de Poder (Art. 350 – Cp)”, movido pela senhora Marília Lopes Gomes, que os acusa de terem invadido a sua casa. Leia
Agora, o vereador Franquis Areas responde por crime ambiental movido pelo Ministério Público Federal como informa o blog de Maxuel Barros. Leia na íntegra http://maxsuelmonteiro.blogspot.com/2011/05/vereador-da-camara-municipal-de-sao.html

quinta-feira, 19 de maio de 2011

PRESIDENTE DA CÂMARA DE SJB DESCUMPRE A LEI E VEREADORES DEIXAM O PLENÁRIO

Os vereadores Alexandre Rosa, Aluizio Siqueira, Amaro Élio, Carlos Alberto Alves Maia e Jonas de Oliveira, que apóiam a prefeita Carla Machado, em São João da Barra, deixaram o plenário no início da leitura da Ordem do Dia, durante a sessão de ontem, do Legislativo. Eles se negaram a compactuar com a decisão do presidente, de não colocar em votação o pedido de suplementação da Prefeitura, que visa recompor o Orçamento Municipal, retalhado no início do ano. Segundo os vereadores, o presidente Gérson Crispim não está cumprindo com o determina a Lei Orgânica, em seu art. 38, parágrafo 1º.

A Lei Orgânica Municipal é clara ao dizer que “o Prefeito poderá solicitar urgência para apreciação de Projetos de sua iniciativa, considerados relevantes, os quais deverão ser apreciados no prazo de 30 (trinta) dias”. No parágrafo 1º, está estabelecido: “decorrido, sem deliberação, o prazo fixado no caput deste Artigo, o Projeto será obrigatoriamente incluído na Ordem do Dia, para que se ultime sua votação, sobrestando-se a deliberação sobre qualquer outra matéria, exceto medida provisória, veto e leis orçamentárias”.

Após a saída dos vereadores, em protesto pela decisão do presidente Gérson Crispim, de não colocar a matéria em votação, o vereador Zezinho Camarão e o presidente da Casa tentaram colocar o público presente na assistência e os internautas que acompanhavam a sessão pelo site da Câmara e pelo Portal OZK contra os vereadores da situação.

- Nós não estamos aqui para compactuar com a ilegalidade, afirmou o vereador Alexandre Rosa.

A mensagem que solicita suplementação orçamentária no valor de R$ 51 milhões foi enviada no dia 31 de março pelo Executivo ao Legislativo, ou seja, há um mês de 20 dias. Nesse período o presidente retardou ao máximo o envio para análise das Comissões. Presidente da Comissão de Justiça e Redação, Alexandre Rosa reclamou há 15 dias que o vereador Kaká o impediu de nomear um auxiliar – o que está previsto no Regimento Interno, e tentou fazer valer um parecer que o próprio Kaká ditou à uma auxiliar indicada por ele.

- A prerrogativa de indicar um técnico é do presidente da Comissão, que no caso, não é o vereador Kaká, afirmou.

O líder do governo na Câmara, vereador Aluizio Siqueira, lembrou que a Câmara exigiu que a Prefeitura encaminhasse os balancetes deste ano ao Legislativo, condicionando a remessa dos documentos à apreciação da matéria. “A Câmara não tem pode de exigir isso da Prefeitura, até porque isso não está previsto em nenhum dispositivo legal”, afirmou. “Mesmo assim o Executivo encaminhou os balancetes e está mandando os mesmos para publicação no Diário Oficial, para demonstrar a transparência do Executivo e boa vontade com o Poder Legislativo, mas a recíproca não é a mesma”, afirmou o líder do Governo.

Os cinco vereadores são unânimes em reclamar da forma autoritária como o presidente Gérson Crispim tem comandado os trabalhos no plenário, cassando a palavra dos vereadores da situação e cerceando o direito às intervenções dos mesmos. Ontem, pela presença de uma emissora de televisão na Câmara, ele chegou até a repreender o vereador Franquis Arêas, da oposição, durante a discussão de uma matéria, porém esta não é a prática comum, como lembra o vereador Jonas de Oliveira, líder do PMDB: “infelizmente o presidente não tem sido imparcial”, lamentou.

Político medroso

 

Tem político de fora que foi político aqui que continua com o mesmo perfil: medroso. Utiliza de mecanismos mesquinhos e só faz perguntas: "O que você acha?", "Qual sua opinião?"... Na verdade, induz as pessoas a darem suas opiniões e na verdade fica discutindo argumentos dos outros, se mantém por trás dos outros. E o pior é que teve que se humilhar e se unir àquele que contribuiu para sua destruição política. Aliás, está com medo de se unir mais. Entrar ou não entrar em seu partido? Por esta e por outras que perdeu em todas as urnas. E vai perder de novo. Isso se for candidato...
fonte:http://brunocostasjb.blogspot.com/

Carla Machado participa de Conferência do Fórum de Controle Social

A prefeita de São João da Barra, Carla Machado, defendeu na noite de quarta-feira, durante a II Conferência Local de Controle Social, organizada pelo Movimento Nossa São João da Barra, na Câmara de Vereadores, que todos os setores da sociedade são-joanense estejam abertos ao diálogo. Carla disse que a participação é fundamental para a construção de políticas públicas que atendam às demandas coletivas. Porém, destacou que o diálogo é uma via de mão-dupla, e que “os espíritos estejam desarmados para se chegar a um consenso”.
 Ao falar para cerca de 70 pessoas no plenário do Legislativo, a prefeita fez um balanço das ações desenvolvidas pelo governo desde 2005, especialmente investimentos em infra-estrutura, educação, saúde e outros, além da criação de oportunidades com a construção do complexo logístico e industrial no Açu, 5º Distrito de São João da Barra. Ao mesmo tempo a prefeita defendeu uma mudança de comportamento da sociedade na busca do desenvolvimento sustentável e ressaltou que o empreendimento é extremamente importante para São João da Barra, contudo, os agentes locais precisam estar inseridos.
Organizada pelo Movimento Nossa São João da Barra, a conferência tem sua meta principal avaliar os impactos sociais relacionados à construção do Complexo Logístico e Industrial do Açu, no 5º Distrito de São João da Barra. As desapropriações realizadas pela Codin – Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado, para a instalação do distrito industrial, como era esperado, ganharam notoriedade na pauta, assim como os efeitos positivos e negativos gerados pelo empreendimento.
Para o professor e economista Alcimar das Chagas Ribeiro, da Uenf, que foca seus estudos sobre a realidade econômica do Norte Fluminense, o debate foi extremamente importante no que diz respeito a abertura de um canal de diálogo, mas defendeu mudança no “tempo verbal” quanto à percepção do processo: “quando falamos no tempo futuro criamos os melhores dos mundos”, destacou. Ele disse ainda que o objetivo do evento é auxiliar e induzir a sociedade a se organizar. “A sociedade só se fortalece dessa forma: organizada para obter acesso às informações”.
Na opinião do professor Hamilton Garcia, também da Uenf, a conferência indica que “todos devem fazer o dever de casa”, disse ele, referindo-se à necessidade de qualificação do setor público para dar agilidade às medidas mitigadoras e atender às exigências dos empreendedores. “Dever de casa” foi a expressão usada pelo professor, ao referir-se à sociedade, que deve se organizar para buscar informações e cobrar soluções, assim como os empreendedores, no sentido de buscarem o diálogo franco e transparente com todos os atores locais.
Para a prefeita, o Movimento Nossa São João da Barra é de grande importância porque “reúne pessoas que discutem o município”. No balanço das ações, Carla Machado enfatizou parcerias realizadas com instituições como o IFF – Instituto Federal Fluminense, para a criação de cursos voltados ao atendimento da demanda no porto; com a Faetec e outras instituições; a parceria com a Unicamp, cujo objetivo é criar um dos mais abrangentes projetos de inclusão digital do Brasil, além de outras que visam fortalecer o processo ensino-aprendizagem em São João da Barra.
Carla Machado aproveitou para fazer um desabafo em relação à situação vivida pelos agricultores do 5º Distrito. A prefeita destacou que a postura adotada por um determinado grupo, praticamente inviabilizou o canal de diálogo com o setor governamental, mas ressaltou que “jamais se afastou da busca de soluções”. “Nós estivemos com o governador, com o secretário de Desenvolvimento do Estado, com a presidente da Codin, com os empreendedores, buscando soluções para o impasse vivido pelos proprietários”, disse.
- Muitas vezes fui acusada de omissão. Omissão é não se envolver, e eu estou envolvida neste processo desde o início. Antes de qualquer coisa, eu considero o meu mandato como uma missão conferida pela população de São João da Barra. O sentimento dos produtores do 5º Distrito é o meu sentimento, mas há pessoas com interesses políticos e pessoais desvirtuando o caminho do diálogo, disse a prefeita. Ela lembrou também de soluções que já foram encaminhadas em benefício dos produtores, como a Vila da Terra, projeto de reassentamento voltado aos produtores que residem no 5º Distrito.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Um pequeno Garotinho / Betinho

Segundo o jornal "O diário", houve uma conversa entre Anthony Matheus e a empresa Kassinú, que estaria interessada a construir um estaleiro na Barra do Furado (matéria da semana passada). Empresa essa, aberta durante o período de revitalização da industria naval quando ele era governador. Segundo Anthony Matheus essa empresa adquiriu uma área no entorno do porto da Barra do Furado, que servirá para construção de um novo estaleiro. Anthony Matheus disse ainda na matéria, que era uma ótima notícia para o povo de Campos. Eu pergunto: Barra do Furado também pertence a Quissamã ? Como fica o povo de lá ? Será que o problema de Anthony Matheus é com os municípios pequenos, como São João da Barra e agora Quissamã ?

São João da Barra já sofre muito com as atitudes do parlamentar, tantas promessas feitas e o povo até agora não teve respostas. Acho que na minha opinião o grande problema de Anthony Matheus é não aceitar que município pequeno apareça mais do que a sua Campos dos Goytacazes.  Por outro lado, aquele que morre de amores por São João da Barra teve a coragem de trair o povo sanjoanense e se aliar a esse cidadão, que nunca quiz o bem do povo de nossa terra. Chegou a hora do povo sanjoanense dar uma resposta definitiva as esses aventureiros de plantão. Somos um povo inteligente e capaz. 
 

terça-feira, 17 de maio de 2011

Evento marca Dia Nacional da Luta Antimanicomial

São João da Barra comemora na próxima quarta-feira, dia 18, com um evento no Auditório Municipal, das 8h às 17h, o Dia Nacional da Luta Antimanicomial. A organização é do Centro de Atenção Psicossocial Antônio Carlos Alves Novas (Caps), inaugurado em março de 2010 e que assiste mensalmente cerca de 130 pessoas portadoras de transtornos mentais e de dependência de substâncias psicoativas.
Com o tema Reinventando a loucura, o encontro é aberto a toda a população e terá uma programação composta por palestras e formação de grupos visando discutir as propostas apresentadas na IV Conferência Nacional de Saúde Mental, realizada em 2010, com o intuito de implantá-las no município.
— Será um momento de reflexão e discussão de propostas sobre a questão, que envolve não só a Saúde, mas a integração das demais políticas, como Assistência Social, Educação, Segurança Pública, entre outras — explica a coordenadora do Programa saúde Mental em São João da Barra, Helloysa Medeiros.
Ainda de acordo com a coordenadora, o objetivo é sensibilizar para a importância de uma sociedade livre de manicômios e sem preconceito contra pessoas que sofrem de transtornos mentais e portadoras de dependência de substâncias psicoativas, a fim de garantir a elas um tratamento um tratamento público, integral e de qualidade, reafirmando a possibilidade de exercer sua cidadania.

Centro Municipal de Educação Especial de São João da Barra

           Os mais de 70 alunos do Centro Municipal de Educação Especial de São João da Barra receberão a visita de profissionais da área de saúde nesta quarta-feira, dia 18 de maio. A visita faz parte do Programa de Saúde Bucal e de Educação em Saúde da secretaria municipal de Saúde e acontece a partir das 12 horas.
            Os dentistas estarão promovendo ações odontológicas preventivas, levantamento de necessidades (inspeção visual bucal), escovação supervisionada, aplicação tópica de flúor e entrega de kits de higiene bucal. Ao final das atividades será apresentada uma peça de teatro referente ao tema. A diretora do Centro, Silvana Caldas Costa Maciel, destaca os objetivos da ação.
            — O objetivo da ação é educar os alunos e pais de alunos para os cuidados com a saúde da boca, ensinando o uso adequado da escova de dentes, do creme dental e do fio dental dando ênfase à importância da higienização bucal para a saúde de alunos.

Falta de decoro em São João da Barra deveria dar cassação, invasão de domicílio também…

 


Camarão, Gersinho, Franquis e Cacá (foto blog do Bruno Costa)
Nem Gersinho, presidente da Câmara Municipal de São João da Barra, aguentou o bate-boca promovido por seu aliado Antônio Manoel Machado Mariano, o “Xerife Camarão”, contra o vereador Aluizio Siqueira, encerrando a sessão da segunda-feira por falta de Decoro Parlamentar.
Falta de decoro pode dar cassação
Aliás, o vereador Kaká, presidente da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar que, esperamos, continue se mostrando tão zeloso com o cumprimento dos seus deveres também nesse caso, certamente deverá tomar providências urgentes para que esse tipo de postura do seu aliado, que só depõe contra aquela casa legislativa, não se repita. Afinal, falta de decoro parlamentar, abuso de poder e exercício arbitrário também podem levar à cassação de mandato. Doa a quem doer.
Invasão de domicílio, abuso de poder e exercício arbitrário também é falta de decoro parlamentar

Registro de ocorrência da PM
Registro de Ocorrência da PM virou processo por invasão de domicílio, abuso de poder e exercício arbitrário

Pois é, invasão de domicílio, abuso de poder e exercício arbitrário também podem ser enquadrados como Falta de Decoro Parlamentar.
Mas aí a coisa pode ficar preta, afinal, ele mesmo, vereador Kaká, Camarão (olha ele de novo aí) e Franquis respondem ao processo criminal nº0000957-51.2011.8.19.0053 (1ª Vara de SJB), com Prioridade – Pessoa Idosa – Lei nº 10.741/03, por “Violação de domicílio (Art. 150 – CP); Exercício Arbitrário Ou Abuso de Poder (Art. 350 – Cp)”, movido pela senhora Marília Lopes Gomes, que os acusa de terem invadido a sua casa em uma investida contra o jovem empresário Ari Lopes, na ânsia de conseguir “munição” contra o governo municipal. Em tempo, tentativa essa frustrada, como relata o Registro de Ocorrência da Polícia Militar:
“Por det. D/15, procedemos ao local acima, onde, em contato com o Sr. (Presidente da CPI), informou que recebeu uma denúncia anônima dando conta da existência de documentos da Prefeitura guardado (sic) no local acima, acautelamos o local até a chegada do proprietário que autorizou a entrada do(s), juntamente com a guarnição, onde foi localizado vários documentos antigos da Prefeitura local, porém que não faziam parte da CPI. As partes assinam este no verso.”. Veja Aqui.

Sanchos Pança sem D. Quixote
Tudo isso fica parecendo desespero de uma oposição que, depois de perder a maioria na Câmara pelo seu cego radicalismo que colocou em risco o desenvolvimento na região e prejudicou o verão do município (estação de “safra” para toda a economia local), agora se vê rebaixada de pomposos “Cavaleiros do Apocalipse” a apenas Sanchos Pança que caíram de quatro sem o seu D. Quixote, mas que continuam seguindo sem rumo em sua abilolada cruzada contra os moinhos do progresso.
Tá na hora de São João da Barra dar um basta nessa picuinha toda e exigir o respeito

fonte; Por Esdras, em 17-05-2011 - 14h57

Lixo na mira

 

Ultimamente tenho ouvido muito falar do lixo de São João da Barra, inclusive hoje ouvi dizer que o valor pago pela coleta de lixo de São João da Barra é a mais cara do mundo, pergunto: quanto custa a coleta de lixo da cidade do Rio de Janeiro ? Quanto custa mensalmente a coleta de lixo da cidade de Nova York ? Quanto custa o coleta de lixo de Madrid na espanha ? Quanto custa a limpeza publica da cidade de São Paulo ? Quanto custa a coleta de lixo de Nova Iguaçu ? Bom gostaria de ouvir algumas respostas:

Avaliação
1. No passado, qual era a área de abrangência dos serviços em Km2 ?
2. Qual a atual área de ambrangência dos serviços em Km2 ?
3. Quais eram os equipamentos, tecnologias e mão de obra usadas no passado ?
4. Qual é a atual ampliação de novos equipamentos, novas técnologias e mão de obra empregados a serviço da limpeza publica ?
5. No passado o valor cobrado era um, seis anos depois qual seria a correção monetária ?
6. Quantas pessoas eram empregadas com a empresa que fazia a coleta de lixo no governo passado ?
7. Quantas são empregadas hoje ?
8. Quantos empregos adminitrativos a empresa do governo passado dava a sanjoanenses e quantos a atual dá ?
9. Qual a relação de serviços no território de hoje comparado com o do passado ?
10. Onde era a sede da empresa que fazia a coleta de lixo há seis anos atras e onde é a sede da atual empresa ?

Os fatores acima são importantes para avaliar se o atual serviço é caro ou não, na verdade nem me lembro muito bem a razão social da empresa que atendeu os serviços de limpeza publica no governo do ex-prefeito Alberto Dauiare Filho, à atual tem sede aqui na cidade, próximo a BR-356 e vejo varios sanjoanenses trabalhando lá, de qualquer forma caros amigos precisamos estar atentos a todos os detalhes, dessa forma podemos avaliar o passado e o presente.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Vereadores de São João da Barra Kaká, Camarão e Franquis Arêas respondem processos criminais

 

Os Vereadores Kaká, Camarão e Franquis, de São João da Barra, respondem processo criminal por invasão de domicílio, exercício arbitrário das próprias razões e abuso de autoridade.
Vejam os processos em andamento:
Processo Número: 0000957-51.2011.8.19.0053
TJ/RJ – 14/05/2011 09:41:06 – Primeira instância – Distribuído em 01/03/2011
Prioridade – Pessoa Idosa – Lei n o 10.741/03
Comarca de São João da Barra 1ª Vara – Cartório da 1ª Vara
Endereço: São Benedito 222
Bairro: Centro
Cidade: São João da Barra
Ofício de Registro: Distribuidor, Contador e Partidor de São João da Barra
Ação: Violação de domicílio (Art. 150 – CP); Exercício Arbitrário Ou Abuso de Poder (Art. 350 – Cp)
Assunto: Violação de domicílio (Art. 150 – CP); Exercício arbitrário ou abuso de poder (Art. 350 – CP)
Classe: Representação Criminal
Suplicante MARÍLIA LOPES GOMES
Suplicado CARLOS MACHADO DA SILVA e outro(s)…
Listar todos os personagens
TIPO PERSONAGEM
Suplicante MARÍLIA LOPES GOMES
Advogado (RJ142448) ALLAN SILVEIRA GOMES FAIAL
Suplicado CARLOS MACHADO DA SILVA
Suplicado FLANKLIN ÁREAS DE FREITAS
Suplicado ANTÔNIO MANOEL MACHADO
Advogado(s): RJ142448 – ALLAN SILVEIRA GOMES FAIAL
Tipo do Movimento: Remessa
Destinatário: Ministério Público
Data da remessa: 12/05/2011
Prazo: 15 dias

São João da Barra; ‘Advogados de Garotinho já moveram ações contra ele’, diz Carla Machado

 

A Prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PMDB), falou sobre ataques da oposição em emissora de rádio local, na manhã desta segunda-feira (16).
“Tudo o que estão falando sobre corrupção, que vou sair com polícia federal, vai ser esclarecida. O que eles querem é me enfraquecer, destruir minha imagem, para que outros venham querer tomar conta da Prefeitura de São João da Barra no ano que vem.
Tenho fé em Deus, vou esclarecer essas maledicências. Sobre essa CPI, é totalmente nula, descumpriu determinação judicial, os encaminhamentos feitos foram fantasiosos, não colocaram a verdade, conseguiram fazer com que houvesse a ida de Marcos Sá à Câmara Municipal, estão com advogados que trabalham com Garotinho (PR), advogados que realmente fazem a coisa pegar fogo assim, porque na realidade, eles já fizeram, já moveram muitas e muitas ações contra o próprio Garotinho, depois contra Cabral e agora contra mim.
Me desestabilizando a frente da administração municipal, eles conseguem força para assumir a Prefeitura no ano que vem. É tudo o que eles querem, mas vou esclarecer tudo.
Acho que a população fica revoltada porque tem rádios e meios de comunicação, porque tem muitos que ainda virão para denegrir, falando coisas que não são verdade. São João da Barra, ao contrário de municipios vizinhos, nunca teve, ao menos não na minha gestão, cassação. Desde que entrei, eles falam que vou ser presa, que vou sair da prefeitura com a policia federal e estou há 6 anos e meio na prefeitura e nunca aconteceu nada. Eles estão usando isso como arma para que eu viva um inferno astral.
Mas quero deixar claro que tudo isso tem me fortalecido. Estou chateada, lógico, com tudo isso que está acontecendo, mas esses que estão usando desses golpes baixos, vão pagar com o descrédito. Peço que as pessoas participem e possam estar tirando as suas conclusões. Não tenho temor a político, a homem nenhum, só tenho temor a Deus.
E tenho certeza que tudo isso será esclarecido”.
FONTE:portalozknews.com.br

Com obras do Açu, São João da Barra deve receber R$ 70 bi e população pode crescer 7 vezes.

            Aos poucos eles estão chegando. Ao fim de 15 anos serão 250 mil, mais de sete vezes o atual número de habitantes (32.747). Ou seja, a pacata São João da Barra, localizada no Norte Fluminense e que hoje não enche sequer o estádio do Engenhão, terá uma população suficiente para lotar três Maracanãs em 2025. A razão para tamanho salto são as perspectivas de investimento no município a partir da construção do Porto do Açu, empreendimento da LLX, o braço logístico do grupo de Eike Batista. Em pouco mais de dez anos, a cidade deverá receber uma injeção de quase R$ 70 bilhões - R$ 3,4 bilhões do porto e outros R$ 64 bilhões de empresas que deverão se instalar no seu entorno, informa reportagem de Danielle
A LLX já tem cerca de 70 memorandos de entendimentos assinados com candidatas ao novo complexo industrial. Entre elas estão duas siderúrgicas (a chinesa Wisco e a ítalo-argentina Ternium) e duas cimenteiras (Camargo Corrêa e Votorantim). A montadora Renault-Nissan também está em conversas com a Secretaria do Desenvolvimento do Estado do Rio, que trabalha com a LLX na atração de investimentos para a região. Juntas, essas empresas vão formar o chamado Distrito Industrial de São João da Barra, área de 70km próxima ao porto.
Atualmente, duas mil pessoas trabalham no porto, que deve entrar em operação em 2012. Cerca de 60% delas já moravam no município. As demais vieram de diferentes estados do Brasil, atraídas pelas oportunidades de trabalho. Parte deve voltar para sua terra de origem, mas há quem pense em ficar na cidade. Afinal, o complexo industrial deverá criar 50 mil vagas, nos cálculos da LLX.
O baiano Anderson Rodrigues, que trabalha para a ARG, uma das empresas envolvidas nas obras, é um dos que quer trazer a família. Há um mês na cidade, ele ganha R$ 2 mil mensais pelos serviços de carpintaria. Em Paulo Afonso (BA), estava desempregado.
- Sou muito caseiro e aqui é tranquilo. Estou pensando em trazer minha mulher - diz.
Como os demais operários que vêm de fora, Rodrigues divide uma casa com outros funcionários alugada pela ARG. A maior procura por locação de imóveis já está inflando os preços. Há dois anos, quando as obras do Porto do Açu ainda estavam no início, uma casa de três quartos era alugada por R$ 700 mensais. Hoje, sai a R$ 1.500 por mês, segundo a imobiliária Pessanha Imóveis, a maior da cidade.
Especialista teme favelização
O novo contingente de mão de obra já começa a gerar pequenos negócios. O carioca Felipe Siqueira chegou a São João da Barra há um ano e meio. Comprou uma fatia de um supermercado local, abriu uma lavanderia especializada em lavar macacões e, há dois meses, inaugurou um restaurante que atende exclusivamente a trabalhadores da Camargo Corrêa, envolvida nas obras do porto:
- Vislumbrei a possibilidade de crescimento da cidade e resolvi apostar nessa onda.
Siqueira é um dos que está ajudando a organizar o comércio local. Há quatro meses, foi fundada a Câmara de Dirigentes Lojistas, da qual é vice-presidente. Já são 71 associados. Na semana que vem, eles vão se reunir com representantes da Ternium na tentativa de detalhar as necessidades da futura siderúrgica. Grandes bancos também estão chegando. Bradesco e Caixa Econômica Federal pretendem inaugurar agências na cidade.
A prefeitura, comandada por Carla Machado (PMDB), começa a se mexer. Desde 2009, oferece cursos gratuitos de mandarim, visando à chegada da Wisco. Também fechou parcerias com instituições para qualificação do mão de obra. Parte das iniciativas é custeada com a arrecadação do Imposto Sobre Serviços (ISS), que saltou de R$ 919 mil em 2006, um ano antes do início das obras do porto, para R$ 9,047 milhões em 2010.
Mas é preciso muito mais para assegurar o desenvolvimento social, dizem especialistas. Por um lado, o complexo industrial do Açu poderá contribuir para reduzir a dependência em relação ao petróleo. Ano passado, os royalties e participações especiais (PE, cobrança que incide sobre grandes campos produtores) representaram 56% do orçamento. Por outro lado, o inchaço da cidade inevitavelmente sobrecarregará a infraestrutura local, afirmam.


sexta-feira, 13 de maio de 2011

Projeto de siderúrgica para o Açu é apresentado.


 A prefeita de São João da Barra, Carla Machado, recebeu na manhã desta sexta-feira (13), no auditório municipal da prefeitura, representantes da Ternium – empresa ligada ao grupo Techint – que apresentaram o projeto da siderúrgica a ser instalada no Complexo Portuário e Industrial do Açu com início das obras previsto para o final deste ano e início da operação com previsão para 2014. Participaram do evento, o vice-prefeito Dodozinho, secretários municipais, vereadores, representantes de associações de moradores e a deputada federal Andreia Zito.

A Ternium é uma empresa de produtos de aço e derivados, sendo líder na América Latina do setor. A empresa está presente em países como México, Argentina, Colômbia, Estados Unidos e Guatemala. Sua capacidade produtiva chega a impressionantes 9 milhões de toneladas por ano e possui 14.300 funcionários. Seus embarques de produtos siderúrgicos chegam a 6,4 milhões de toneladas.

O empreendimento em São João da Barra vislumbra uma siderúrgica integrada com produção de 8,4 milhões de toneladas por ano, com pelotização, fabricação de placas, chapas grossas para a indústria naval, além de laminados quentes para a agroindústria, por exemplo. Além disso, o grupo prevê fabricação de produtos para o setor petrolífero de grande profundidade e também para setores automobilísticos.

Segundo Mário Dell’acqua, diretor de Implantação da siderúrgica no Açu, o cronograma prevê diversas fases para o desenvolvimento das diversas plantas do projeto e mão de obra qualificada será necessária. “Prevemos em todo o projeto siderúrgico a criação de aproximadamente 11 mil empregos. Inclusive, grande parte da mão de obra existente hoje nas obras do Porto será aproveitada na siderúrgica e que geralmente em nossos projetos fica permanente”, ressalta.

Para a prefeita Carla Machado, este empreendimento é mais uma oportunidade de empregos para a população de São João da Barra. “Nossa preocupação é com o ser humano, a sua inserção neste contexto desenvolvimentista. Estamos construindo uma escola técnica com o intuito de federalizá-la, implantamos uma escola pré-moldada que já aportará cursos técnicos em Metalurgia e Eletromecânica em parceria com o IFF”, adianta a prefeita, que lembra que o curso de Metalurgia não existe na região.

A prefeita ainda enumerou outros projetos de seu programa de Qualificação Profissional. “Fizemos parceria com a empresa e o Senai para qualificar a nossa mão de obra na área de construção civil, temos buscado junto ao governo do Estado um Centro Vocacional Tecnológico com curso voltado para Solda. Além disso, implantamos os cursos de Informática Industrial, Segurança do Trabalho e Logística Portuária – este criado para nossa demanda, em parceria também com o IFF”.
Paolo Bassetti, vice-presidente da Ternium, disse que a companhia tem um Centro de Capacitação para treinamento de pessoal, além de uma Universidade Interna. A prefeita aproveitou a oportunidade para fortalecer a parceria numa possibilidade de intercâmbio com os universitários bolsistas do município e os alunos dos cursos técnicos. Basseti convidou a prefeita para conhecer de perto o Parque de Qualificação da Techint.

IMPACTOS AMBIENTAIS – Outro ponto citado na reunião diz respeito às questões ambientais. Representantes da empresa explicaram que o empreendimento absorverá uma área de 1300 hectares e que as melhores tecnologias de controles ambientais estarão sendo utilizadas para mitigar os impactos ao ambiente. Segundo eles, em relação à água, 97% serão tratadas e reutilizadas, além da implantação de um sistema de drenagem pluvial para aproveitamento da água da chuva e sua reutilização. Para o impacto no solo, se utilizará tecnologia de última geração para isolamento e consequentemente proteção do solo e do lençol freático. Relativo ao ar, falou-se também da filtragem em tecnologia em nível mundial, não atingindo os níveis fora da legislação e mantendo a qualidade do ar sanjoanense.
OUTRA SIDERÚRGICA – O Distrito Industrial do Açu irá aportar também outra siderúrgica. Em julho de 2009, a prefeita Carla Machado esteve na comitiva brasileira que foi à China, em companhia do governador Sérgio Cabral e do empresário Eike Batista. Dentro os compromissos, uma reunião com a presidência do grupo chinês Wuhan Iron & Steel (Wisco), um dos gigantes da siderurgia no mundo e que notabilizou a vinda do grupo para São João da Barra. A Wisco aportará investimentos de US$ 5 bilhões para a produção de cinco milhões de toneladas por ano.

Big Brother Garotinho


Inspirado do Big Brother Barack, postado no site Kibeloco, o jornalista Alexandre Bastos, da Folha da Manhã, resolveu lançar em seu blog, o Big Brother Garotinho (BBG), que também conta com polêmicas, intrigas e muitos paredões. Neste reality show, o participante tem duas opções: se aliar ao dono do programa ou ser atacado por todos os lados e viver no paredão

fonte http://zevitor.blogspot.com/

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Melhores do dia.

  • Ex-prefeito Alberto Dauaire Filho comenta em rádio campista que nas estradas sanjonenses havia sido feito laudo médico;
  • Em rodas de conversas em São João da Barra, seguidores do ex-prefeito dizem que Bruno Dauaire desistiu de vir candidato a vereadoror, mas que estaria preparando seu filho em programa de rádio na cidade vizinha para uma futura candidatura a deputado estadual. Nesse caso como ficará seu relacionamento com Clarissa Garotinho ?
  • No mesmo programa, na rádio campista, o ex-prefeito pede ao vivo via telefone a um de seus colaboradores em São João da Barra para colher depoimentos de pessoas sobre CPI. Porque o mesmo não vem pessoalmente colher os depoimentos, já que acha que sua popularidade está em alta;
  • Empresário afirma em roda política que é candidato a prefeito por São João da Barra e convidou o presidente da câmara para vice.

terça-feira, 10 de maio de 2011

As trapalhadas legislativas

 

Tem gente que parece estar com os olhos vendados para tudo e para todos, tem gente que assume o poder temporal e faz um mal pra si mesmo. O pior é achar que estão agindo de forma coerente, correta e sensata. Analisando as sessões legislativas, eu e o mundo inteiro, observamos despreparo, quebra de decoro e ética. É preciso mais formalidade de debate no campo das ideias. Tem muita gente assistindo virtualmente e vendo a realidade política nossa. Não façam isso por favor com São João da Barra!

Regimento interno, lei orgânica, decoro parlamentar, ética, respeito aos próprios edis, à plateia, aos ouvintes e aos internautas. Por favor, sigam de forma linear e tranquila os cargos que o povo concedeu a vocês. Estão queimando a própria imagem e a de São João da Barra. O que vocês têm na cabeça?